Sign in to follow this  
Followers 0

NFe + Cupom Fiscal / Como ficam os impostos ?

16 posts in this topic

Posted

Olá para todos.

Estou desenvolvendo a NFe em um sistema de comercio que tenho na empresa. 99% das NFe serão com CFOP para emissão conjunta com ECF (cupom fiscal).

Já localizei as Tag de referencia de ecf e tudo esta, aparentemente, certo quando a isso.

Mas como fica a questão dos impostos (ICMS) ? O ECF já tem tudo isso na memoria que é enviada para escritorio, se eu destacar na NFe, pode haver dupla cobrança ? (li isso em algum lugar).

Ou devo preencher igual NFe normal ?

A empresa em questão é simples federal.

Desde já, obrigado pela atenção e ajuda de todos.

Rafael Escher Guarasemini
Rio Claro - SP

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Olá rafael!

eu possuo clientes na mesma situação. De acordo com a contabilidade (e o que eu acho mais lógico) é usar o cfop 5929 e usar o CST 90 ( ou CSOSN 900 para simples nacional). E é claro, referenciar o cupom fiscal na nota. Somente isso, não precisa calcular imposto algum. Não sei se é o seu caso

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

vou fazer um teste aqui Cleber, obrigado pela atenção

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Por experiencia propria:

Quem é do simples e tem ECF: a ECF registra a tributacao como fosse regime normal e nao do simples;

Quando emitir NFe faz com o CFOP 5929 ou 6929, porem o CSOSN não é o 900. Vai depender se a empresa destinataria da NFe puder aproveitar ou nao o credito do ICMS dos produtos. Por isso o CSOSN pode ser 101, 102 ou até 500 no caso de substituicao tributaria.

Se a empresa não é do simples faz uma NFe normalmente, com o CFOP 5929 ou 6929, referenciando o cupom fiscal. Na hora de ESCRITURAR é que o contador não pode escriturar os 2 impostos (nem gerar a guia dos 2), teoricamente ele gera de todos os CUPONS e todas as NFe que são de VENDA (ou seja, as 5929 nao entra)

Resumindo: pra quem faz o programa não muda quase nada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Bom dia Igor.

Então, pela sua experiencia, o melhor é calcular os impostos e destaca-los na NFe ? Foi o que entendi ?

Fiz um teste colocando cst 90 / csosn 900 e dai começou dar os problemas classicos de os valores não baterem, até engraçado pq foi com somente 1 item e so tem 1 valor em questão.

novamente, obrigado pela atençao

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

posta o xml aqui pra gente

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Exato guarasemini, destaca normalmente na NFe, a unica coisa que muda é a CONTABILIDADE das vendas.

Vc somente pode contabilizar como venda os CFOPs de venda. 5929 não é venda.

Bem como NFes de Remessa por exemplo, não são venda.

o que define se é ou não é, é o CFOP. Não existe um campo na NFe que diz: NFe de Venda.


Use os CSOSN e CST corretos. Pois se no cupom fiscal esta F1 (substituicao) vc tem que usar cst 60 e csosn 500

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Ola para todos.

Está complicado. Liguei no escritorio do cliente e fui informado para usar cst icms 90/900, cst de pis 90, cst cofins 90. E não destacar nenhun valor.

Consegui enviar em homologação assim, mas não tenho certeza qual metodo é o correto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Eu fiz do jeito que falei, mas se o escritorio do seu cliente se responsabilizar 100%, faz do jeito que tao pedindo entao...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Alem das CST's etc e tal , tambem utilizar sim as cfop 5929 ou 6929 para operação e tambem anexar os COO(s) do(s) cupons referenciados nas Informações Complementares da NFe assim :

Em São Paulo :
Emitida nos termos da Portaria CAT n-90/00 - COO 000001 , 000002 , etc etc .

Em Estados com PAF-ECF como a Bahia por exemplo , é obrigatorio apresentar o MD5 do modulo do seu EXE de Nota Fiscal tambem nas Informações Complementares .

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

marcelo, apresentar o MD5 na NFe é SOMENTE se foi emitido pelo PAF-ECF.

Nada me impede de gerar uma NFe pelo retaguarda

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Aqui em SP encontrei isso aqui no site da SEFAZ:

[url=http://www.pfe.fazenda.sp.gov.br/guia_procedimentos_ecf_06.shtm]http://www.pfe.fazenda.sp.gov.br/guia_p ... cf_06.shtm[/url]
[quote]6.4. Se o comprador, pessoa física ou jurídica não-contribuinte, exigir Nota Fiscal, pode-se deixar de emitir o Cupom Fiscal?

Não. Estando o contribuinte obrigado ao uso do ECF, os dois documentos deverão ser emitidos: Cupom Fiscal e Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A ou NF-e.

A Nota Fiscal, [color=#FF0000]com destaque de ICMS[/color], se a operação for tributada, será entregue ao adquirente da mercadoria e o Cupom Fiscal ficará anexo à via fixa (grampeado).

Essa Nota Fiscal emitida deve conter o CFOP 5.929, caso o adquirente seja de SP, ou 6.929, caso o adquirente seja de outro Estado. Ela deve ser toda preenchida, sendo a sua escrituração feita com valores zerados, já que o débito será feito pelo cupom, Assim, no livro Registro de Saídas deve ser registrado para esta nota apenas a coluna "Observações", onde serão indicados o seu número e a sua série.

Fundamento: artigo 135, § 2º, do RICMS/2000 e Comunicado CAT 52/2001.[/quote]

Como eu disse: Na hora de ESCRITURAR deve-se fazer com valores zerados.
Mas na Nota Fiscal tem que destacar os impostos certinho (se foi tributado)

E não encontrei nenhum lugar dizendo que o CST do ICMS tem que ser 90 ou o CSOSN 900


só pra falar onde está que tem que destacar ICMS na Nota Fiscal de 5929:

COMUNICADO CAT Nº 52, DE 15 DE OUTUBRO DE 2001 (D.O.E. - 17/10/01)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

[quote name="igor"]marcelo, apresentar o MD5 na NFe é SOMENTE se foi emitido pelo PAF-ECF.

Nada me impede de gerar uma NFe pelo retaguarda[/quote]


Igor , Homologamos a semana passada junto a Faculdade i10 o PAF-ECF no Estado da Bahia e o homologador exigiu mesmo emitindo a NFe no Retaguarda foi obrigatório o MD-5 do Retaguarda , no caso nosso Retaguarda também é homologado o PAF-ECF , talvez seja isso .

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Com ctz. Se vc teve que homologar o retaguarda é pq ele FAZ PARTE do seu PAF-ECF.

Mas se não fizer parte do paf-ecf não precisa.

Senão como ficaria o emissor gratuito do governo??

Uma duvida Marcelo, tem algum motivo para voce de SP ter ido homologar na Bahia?
Recentemente eu estava pensando em homologar meu PAF-ECF e estava pensando em ir no Polimig aqui em SP

Qual sua opiniao?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

[quote name="igor"]Com ctz. Se vc teve que homologar o retaguarda é pq ele FAZ PARTE do seu PAF-ECF.

Mas se não fizer parte do paf-ecf não precisa.

Senão como ficaria o emissor gratuito do governo??

Uma duvida Marcelo, tem algum motivo para voce de SP ter ido homologar na Bahia?
Recentemente eu estava pensando em homologar meu PAF-ECF e estava pensando em ir no Polimig aqui em SP

Qual sua opiniao?[/quote]

Igor , temos uma Automação no Estado da Bahia "Designer Automação" temos o Software que desenvolvemos "Gestor Soluções" em operação lá , atuamos em Supermercados , Materiais de Construção , Lojas , precisando alguma coisa de lá amigo estamos a disposição , temos tudo lá em Automação Comercial , Equipamentos e Software .

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Entendi!

Muito obrigado pela ajuda, por enquanto to começando pequenininho

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now
Sign in to follow this  
Followers 0