Jump to content

SEFAZ do Ceará disponibiliza aplicativo Gratuíto


Daniel Simoes
  • Este tópico foi criado há 1651 dias atrás.
  • Talvez seja melhor você criar um NOVO TÓPICO do que postar uma resposta aqui.

Recommended Posts

  • Membros Pro

Sinceridade nossa área de Software , ao invez de nos motivar, cada dia nos joga mais para baixo !!!

Sebrae e agora o SEFAZ-CE :(

nossa classe é muito desunida , pois ninguém reage a essas noticias, deixa como se nada estivesse acontecendo.

Nós nos esquecemos que com esse tipo de notícia,  mais um colega de profissão sofre a perda de um cliente e deixa de receber ... e isso é uma cadeia, até chegar em nós !

 

Se eu estiver errado, me perdoe, mas eu ganho a vida com Sistemas e registro minha opinião particular aqui.

 

Att

 

 

  • Like 1
=== * MARCEL HENRIQUE SCANDOLARA * ===
Analista de Sistemas/CEO de mim mesmo
[email protected] / Skype:Scandolara
[email protected] t:@mhscandolara
=======================================

 

Link to comment
Share on other sites

  • Fundadores

O Fisco escuta dos contribuintes, que eles não podem usar o aparato fiscal imposto pelo mesmo, porque ele é muito caro... (PC + MFE + Impressora + Software)

Então o fisco "resolve" o problema... dando o Software...

Mas frente de caixa é outra história.... quem dará suporte quando o programa não abrir ? quem vai resolver quando o SPED não bater ?

  • Like 2
Consultor SAC ACBr

Daniel Simões de Almeida
O melhor TEF, é com o Projeto ACBr - Clique e Conheça
Ajude o Projeto ACBr crescer - Assine o SAC

Projeto ACBr     Telefone:(15) 2105-0750 WhatsApp(15)99790-2976.

Link to comment
Share on other sites

Assim como o SAT em SP acho o MFE um erro no CE.

Imagine então uma padaria que fature R$ 15.000,00.

1.  Nesta padaria tem um padeiro que ganha R$ 2.000,00 e uma atendente/faz tudo que ganha R$ 1.200,00, cada funcionário com a CLT custa em média 55% a mais do que o salário (com encargos, 13º, 1/3 de férias, etc), folha salarial arredondando, R$ 5.000,00.

2.  Compra-se por mês 5.000,00 de produtos (duvido que a padaria ganha 200% em cima dos produtos, mas vamos por esta porcentagem pra ter um exemplo bem caracto).

3. Paga-se de imposto 4% sobre o faturamento bruto (anexo I do simples), R$ 600,00

4. A padaria vende 25% no cartão (vai por mim, é mais que isso), paga-se 2,5%  no cartão (média credito/debito), arredondando, R$ 100,00.

5. O prédio é alugado, R$ 1.000,00

6. Energia, água, telefone, combustivel para fazer entregas, CONTABILIDADE, internet  etc: R$ 1.500,00.

 

Tem mais custos que isso, mas uma padaria pequena que fatura R$ 15.000,00 custa R$ 13.200,00 nesse calculo rapído, o lucro bruto dessa padaria é R$ 1.800,00, mas máquinas quebram, existem outros gastos sazonais, etc. Logo, aquela atendente de 1200 (custo de 1860 com CLT) ou o padeiro de 2000 (custo de 3100 com CLT) não podem existir (tira-se um emprego), ou a padaria não é sustentável.

 

Ai aparece a SEFAZ  (aquela mesmo que cobrou uma quantidade bem grande de impostos do fornecedor e fez o custo subir, e que cobrou mais imposto ainda na folha salarial, etc) e obriga esta empresa  a adquirir um KIT que custa R$ 2.000,00 (CE) e R$ 1.500,00 (SP).

 

O NFCe/NFe é o MÁXIMO que a SEFAZ deveria exigir para o Simples Nacional (Comercio), CTe para transporte e NFSe (unificado em ambiente nacional) para Serviços, qualquer coisa acima disso é atrapalhar o empreendedor, e na boa... "só isso" já atrapalharia bastante.

 

PS: Agora imagina que esta padaria é uma tentativa desesperada daquele padeiro que perdeu o emprego porque o estado gastou demais =)

 

 

  • Like 3

Marcos Gerene

[email protected]

Link to comment
Share on other sites

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.